Resenha de “A Outra Vida” – Susanne Winnacker

Publicado em 25/04/14

   

  Nunca julgue um livro pela capa. É esse o conselho que eu sempre repito para mim mesmo quando entro na livraria, mas quase nunca escuto. A minha sorte foi que eu resolvi escutar o conselho na hora de comprar A outra vida. A capa é completamente sem graça, e o que a editora conta no verso do livro não ajuda muito, só faz você pensar ainda mais que o livro é ridículo. O que me fez ficar interessado no livro foi uma frase da capa: “Quem éramos antes da epidemia-e como nunca seremos novamente…”. Mas nesses e em muitos outros pontos eu estava enganado: 

*CAPA E CONTRACAPA: Como eu já disse, a capa do livro é muito sem graça, mostrando uma menina olhando para uma poça e vendo o reflexo dela completamente destruído, com aspecto monstruoso. Acho que mais pessoas leriam o livro se a capa fosse melhor. A contracapa também é dispensável porque a síntese só faz com que o leitor fique desinteressado pelo livro. 

*HISTÓRIA (SPOILERS): A história é simplesmente incrível. No começo você pensa que os mutantes são fruto de uma epidemia, mas a autora liga os fatos tão bem que você vai recebendo aos poucos pistas de que não é só isso, e se interessa cada vez mais na história, de modo que no final você descobre que Los Angeles e mais 4 cidades foram taxadas como zonas de perigo e cercadas, porque a epidemia é na verdade uma arma biológica do governo criada para ser usada em guerras que saiu de controle e transformou as pessoas “infectáveis” em mutantes. O motivo pelo qual ninguém conseguia se comunicar através de rádios era que o governo mandava ondas de anulação de sinal através de helicópteros, e fora da “cerca”, nome pelo qual a barreira de contenção era chamada, existiam laboratórios que faziam experimentos para criar mais armas. No final do livro a decisão de atravessar a cerca faz o leitor não conseguir esperar mais um segundo pelo próximo livro! 

*BIOGRAFIA DA AUTORA: A Outra Vida deve ser o primeiro livro da autora, pois a única coisa realmente útil na biografia dela é que é formada em Direito, e não cita outros livros escritos por ela. Fora isso, a biografia só diz que ela gosta de Jogos Vorazes, Harry Potter, Adele, Bruno Mars e boa comida, além de não gostar de aranhas. 

*IMPRESSÕES FINAIS: Eu acho que é um livro incrível, apesar de que a editora Novo Conceito poderia ter feito um trabalho melhor com o a capa (afinal, eles usaram a capa americana, e existem muitos livros que no Brasil ganham uma capa nova). Com certeza vale a pena ler! 

André Tostes -8C

Compartilhe por aí!
Use suas redes para contar o quanto a Band é legal!

mais de Linguagens e códigos