Deixando de crescer

Não viverei de meus erros
De meu fracasso passado
Não viverei a esperar
Sentado em um banco
Vendo o mundo passar
Não viverei alojado
Conformado com o concreto
Não viverei alvejado
Transpassado pelo tempo
Não viverei angustiado
Com um coração quebrantado
Que esqueceu de perdoar
Não viverei a tremer
Esperando a adrenalina baixar
Não viverei por ti amar
Você não sabe o que quero
Não viverei ao acaso
O destino não julga a minha causa
Não viverei vestindo e refletindo
Os sonhos de um outro alguém
Não viverei a beijar
A boca de quem não me ama
Não viverei a pisar
As sombras de um outro caminhar
Não viverei exaltando a justiça
Corruptível que lhe agradar
Não viverei a voar
Enquanto o solo de cuidado precisar
Não viverei teu sonho
Que duras dores custará
Não viverei

Jhonata Ferreira de Souza, 3E4