Esconderijo

Eu, sozinha na escuridão,

Com uma caneta mastigada,

Uma folha amassada

Irei abrir meu coração

Estão prontos para ouvir

As palavras que nunca consegui proferir?

Estão prontos para ler

As palavras que nunca consegui escrever?

Então aqui estão elas

As mais tristes,

As mais belas

Por que não é isso que faz a tristeza?

Te mostra que são nas coisas mais simples

Em que encontramos as mais complexas belezas

XXY, 2B

[Feridas invisíveis]

Meu corpo dói

Não mostra feridas,

Nem arranhões

Ou hematomas

Mas isso é porque

a dor não está na superfície,

Onde tudo é visível, claro

E bonito

É mais interno,

Uma parte mais escura

Que ninguém se atreve a explorar

Nem mesmo perguntar a respeito

Por que será?

Talvez por medo do desconhecido?

Ou pelo muito bem conhecido?

XXY, 2B

“Gift”- a realidade do abandono de animais

Ao redor do mundo, há milhões de cães vivendo nas ruas, ou porque foram abandonados, ou porque já nasceram sem lar. Na Holanda, felizmente, todos os cachorros têm onde morar, por conta de medidas restritivas adotadas pelo governo de forma eficiente a evitar o abandono.

Recentemente, a Zoetis, multinacional húngara líder em saúde animal, procurou sensibilizar os espectadores para a questão do abandono de cães, através do poderoso curta-metragem “Gift”. A obra, com duração de cinco minutos, conta com a direção de Zsembuia Zsofia e é estrelada por Bernáth Julia, no papel de Red. Além disso, a participação especial do cão Heather, da Fundação de Proteção Animal de Füsesabony, na Hungria, confere ainda mais realismo e autenticidade à produção.

O enredo do filme é simples e retrata as transformações no cotidiano de uma família após a adoção de Red. As relações, inicialmente harmônicas, caminham para conflitos, revelando as dificuldades e o despreparo da família que fez a adoção. Isso culmina na atitude derradeira da família, que decide pelo abandono da criança. É quando uma nova surpresa ė revelada: a criança, na realidade, foi escolhida para retratar um cão.

Ao comparar o abandono de uma criança ao de um animal, tem-se a grande reflexão do filme, pois fica nítida a crueldade do ato de abandonar. Além disso,  atuação singela da criança como Red confere um tom realista, objetivo e provocador, capaz de atingir diversos públicos. A expressão de tristeza do cão arremata a obra e gera a reflexão sobre a adoção e abandono de animais. Iniciativas como esta são essenciais para caminharmos na direção da realidade holandesa, em que a adoção é um processo de maior consciência e responsabilidade e que vai contra o abandono canino.

Nicole Grossmann, 2B

[Medo]

Por que nos escondemos tanto?

Usamos roupas para esconder nossos corpos;

Maquiagem para esconder os nossos rostos;

Casas para esconder nossas vidas.

De onde surgiu todo esse medo?

Medo da exposição;

Do julgamento;

Da resposta

Procuramos a todo momento ser aceito

Mas aceito por o que?

Pelo o que você esconde?

Pelo o que você mostra no lugar da verdade?

XXY, 2B