Como um cigarro salvou minha vida

quando tudo acabou
pela última vez
te sentir novamente
parecia algo improvável.
encontrei essa sensação, porém,
num maço de cigarro não tão barato assim.
um.
dois.
três.
vinte.
pensei em perguntar se você
ainda fumava
(aquela marca).
me perdi na lembrança
do cheiro
seu gosto
seu.
sua.
sou.
nem aquela sua camisa
guardada
(amarrotada, melhor dizer)
no fundo do meu guarda-roupa
te traz pra mim
como isso te traz.
traz pra mim.
traz.
de volta.
o clichê
do “te trago em mim”
me persegue
dia após dia
ser o que éramos
ser o que era
ser.
não somos.
mas por
mais ou menos
8 minutos
te tenho de novo
dentro de mim
de onde você realmente nunca saiu.
(fumar mata e a saudade também)

Alguém, 2H2

A Terra precisa ficar mais quente (e nós também)

eu sou Vênus
você é marte
e aquilo que nos move é o mesmo
o Sol
o astro
o fogo
que não conseguimos apagar.
fogo que esquenta
fogo que queima
e dói – dói demais.
mas não aguentamos a abstinência
e corremos numa recaída ao encontro do calor.
só mais uma vez… última vez…
só mais uma vez… última vez…
só mais uma vez… última vez…
e então mil vezes mais.
somos reféns da nossa fragilidade
e como a terra
temos conosco a errônea ideia
de achar que somos nós por nós
mesmo que no fundo – lá no fundo – saibamos
que o que nos move é o fogo.
mais uma vez?
só mais uma.
é a última vez…

Alguém, 2H2

História

Não sei o nome do rei mais absoluto da França
Mas sei de cor o título de todas as músicas que você me cantava
Mesmo que eu não quisesse ouvir

Não sei no que Péricles contribuiu na democracia da Grécia Antiga
Mas sei como te ajudar nos dias ruins
Mesmo que você odeie que eu lhe conheça tão bem

Não sei no que a colonização alterou as rotas de comércio europeias
Mas sei chegar até sua casa
Mesmo que às vezes eu erre por um prédio ou dois
(sempre acho no final)

Não sei porque a Inglaterra se tornou uma potência no mundo
Mas sei exatamente como você se tornou quem é hoje
Mesmo que eu preferisse não saber

Não sei se Calvino acreditava ou não nas boas obras
Mas sei que eu não perdi a fé em você
Mesmo que todo mundo dissesse que não tinha mais jeito
(desculpa)

Não sei fazer provas de história
Mas sei te lembrar a todo momento
Mesmo que eu devesse esquecer

Alguém, 2H2

Ela

Ela poderia ser a mulher da minha vida: seus olhos eram da cor do mar e mergulhar neles parecia a coisa mais clichê e ao mesmo tempo mais certa a se fazer.
Ela poderia ser a mulher da minha vida: acordando de manhã daquele jeito meio perdido que só ela tem.
Ela poderia ser a mulher da minha vida: com o sorriso de canto de boca digno das mais belas homenagens.
Ela poderia ser a mulher da minha vida: discursando sobre assuntos dos quais eu não entendia uma palavra, mas que ela amava com cada pedaço de si.
Ela poderia ser a mulher da minha vida: o jeito de andar, ah, eu nunca vi igual.
Ela poderia ser a mulher da minha vida: sendo ela.
Ela poderia ser a mulher da minha vida.
Poderia.
Poderia.
Mas não foi.

Alguém, 2H2