Sentimento sangrante / Olofote / Força de vontade

Sentimento Sangrante

Nem eu sabia
Que coração sangrava
Sangue transparente
Que goteja da cara

Hemorragia mata
Isso sei
Não sou desavisada
Mas se é tão ruim
Por que sinto
Que me faz tão bem?

Então, por favor
Não estanque esse sangue
Que ele mal amado
Pode afogar-me
Mais que a dor que me dá

Força de vontade

É incrível
O quanto o tédio
Move montanhas
Só para não
Mover uma outra

Olofote

Me desfaço em lento passo
Com esse facho a me iluminar
De olhos dóceis sentimentais
Falso, fraco ou de fato
O sentimento, não sei
Não sei, mas quero saber

Lua (Paula V. Barros), 2H1

Relacionamento Machado e Foice

Saudade do tempo
Que amava e era amada
Agora
Amo de graça
Porque amo
Mas não sou recompensada

Oh, burguês tu
Que mais valia faz em mim!
Me rebelava se tivesse
O direito de rebelar contra ti!

Verdade é que fui mau operária
Boba no meu operar
Quebrei a máquina que tu guardava
Por mim
Só por mim!
No seu doce pensar

Lua (Paula V. Barros), 2H1

(Sem título)

Às vezes eu penso
Em voltar no tempo
Revoltada
Com o que está acontecendo

Queria mudar só um minuto
Às vezes só um segundo
Para mudar o momento
Que fora inoportuno

Mas percebo
Que se alterasse
Qualquer suspiro
Qualquer lágrima
Qualquer riso
Talvez
Nunca teria te conhecido
Entristecendo
O jeito que vivo
Porque você
Você me faz vestir
Meu melhor sorriso

Lua, 2H1

Queridos Frio e Calor

O frio é gostoso
me recebe com um abraço
Que envolve meu entorno
Como um bom casaco
Mas o frio vai apertando
Até chegar no ponto
Que chamo o calor
Para me salvar
Quando ele fica sem pudor

O calor é manhoso
Me dá carinho com cuidado
Ele fica tão perto do meu corpo
Que é como se nele tivesse mergulhado
Mas o calor vai irritando
Até chegar no ponto
Que chamo o frio
Para me salvar
Quando ele fica impróprio

Lua, 1A2

A Moda e Luz

Moda é como luz branca

É onda, é partícula da sociedade

E por onde ela anda

Atrai os olhos da mocidade

 

O que mais dela a gente ama

A gente reflete por casualidade

Até sua fonte ir para cama

Sua cor, seu ângulo, sua verticalidade

 

O espelho reflete o estilo da fama

A penumbra adere com pouca intensidade

E a sombra é quem chama

Essa luz branca de absurdidade

 

Quando uma luz fica com baixa chama

Focamos em outra claridade

A humanidade dificilmente anda

Com um pingo de escuridade

 

Lua, 1A2