(sem título)

O que não sai no jornal,
O que a notícia ameniza,
O que é um problema geral,
E que a novela romantiza.

A negra sempre sexual,
A favela sempre alegria,
O negro sempre é o Mal,
A mesma história de vida.

A mulher sempre submissa,
Sempre da casa cuidando,
Se não é mãe, é da vida
Nunca a vemos lutando.

O gay sempre caricaturado,
A lésbica sempre fetiche,
Mas são, pelo menos, mostrados
E trans que aí nem existe.

É fácil excluí-los da mídia,
É fácil escondê-los do povo,
Difícil é lutar por justiça,
Difícil é tentar algo novo.

Marina Gomes, ex-aluna (2013)